Fontes

[Background] John Napoleon Doussead Maverick - Prisma

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Background] John Napoleon Doussead Maverick - Prisma

Mensagem por John Maverick em Dom Jan 08, 2017 1:32 pm

start the riot
28 Anos
Bordeaux/Nova York/Nova Attilan
Híbrido
X-Factor
Prisma
Neutro/Bom
Descrição física
Tem os cabelos loiros curtos, olhos azuis claros, orelhas pequenas, nariz finos, lábios finos, acompanhados de uma barba por fazer. Seu corpo é bem musculoso e trincado. Sua estatura e média, com 1.72m de altura. Quando manifesta seus poderes, seu corpo se torna pura energia de cores variadas, dependendo do aspecto de poder usa.

PERSONALIDADE

John, é um homem decidido, que é capaz de se sacrificar pelo que acredita. Por isso é muito teimoso. Para ele, a lei pode ser usada como mecanismo para manter a paz, mas reconhece suas limitações. Gosta de curtir os momentos da vida, viajando, se aventurando ou mesmo passando um tempo sozinho. Pela criação que teve guarda traços rasos da natureza humana: tem uma grande queda por mulheres e gosta de viver no luxo. Aprendeu com o tempo, contudo, de que a sua marca no mundo vai além do que o dinheiro pode comprar, por isso, é um herói, na medida em que para ele isso não seria necessário. Fala muito a todo tempo, sobre tudo. É muito confiante do seu potencial e é bastante carismático, acumulando tanto amigos, como desafetos. E a frase que o define na vida pessoal e profissional é: "Se não for para fazer com excelência, não faça”.

HISTÓRIA

Maverick, apesar do nome, nasceu em Bordeaux, França, no ano de 1988. Criado sob regime de guarda compartilhada desde pequeno, o rapaz sempre teve um forte apego pelos seus pais. Sendo registrado logo cedo sua dupla nacionalidade, ele viveu toda sua infância na França. Sua mãe e seus avós, eram rígidos com o menino e assim que teve idade começou a estudar em casa. Os franceses particularmente tem uma ligação muito grande com sua história, mesmo não gostando, uma das suas primeiras lições foi a história de sua família. O que lhe deixava curioso era que quando chegava a certo ponto da sua árvore genealógica, não existiam registros pela tamanha antiguidade. Isso não o prendia por muito tempo. Naquela época ele só queria ser uma criança. Sua mãe, Helena Dosseau, não parava em casa, por ser advogada, então o rapaz tomava os momentos livres conversando com os empregados e com seus avós. Eles sempre se impressionavam com sua capacidade de se comunicar se expressar e ele não entendiam porque os adultos achavam essas coisas dele. Aos 9 anos ele já não aguentava ficar preso dentro de casa e começou a pular o muro para ter contato com as crianças da sua idade. Com sucesso, começou a fazer amizades e se meteu numa numa briga. Este episódio lhe gerou castigo por um mês e sua família começou a repensar melhor sobre a criação ao qual ele estava sendo exposto. Assim que saiu do castigo, foi incentivado a fazer esportes e foi matriculado em uma escola de verdade. Um dos poucos da sua família a fazer isso.

Na pré-adolescência começou a mostrar todo seu potencial. Foi aluno destaque nas escola particular que frequentou, ganhou algumas medalhas em natação e aikidô. Neste período começou a ser um pouco mais exigente com si mesmo. O menino amava a atenção, os elogios da sua família, além da atenção grande por parte da escola e se dedicava a ter tudo isso. Suas notas estavam então sempre em evidencia. Neste período começou a gostar muito de garotas e se apaixonou pela primeira vez. O pior problema foi que a garota era namorada de um cara ciumento. Graças as suas habilidades de luta conseguiu confrontar o rapaz a ponto de deixá-lo bem mal. Contudo, no final do horário da aula apanhou muito por estar desprevenido e em desvantagem numérica. O valentão, tinha amigos. A cada vez mais se repetia esse cenário, apesar da sua troca constante de escolas, sua família não entendia o que estava acontecendo pois o rapaz era muito comportado. Doutor Lorran Corsseau, médico da família percebeu que  o garoto estava desenvolvendo TDAH e até se surpreendeu por não terem percebido isso antes. O rapaz a cada dia ficava mais hiperativo e suas notas estavam caindo. Sua mãe e seus avós pareciam saber de alguma coisa, mas não quiseram falar nada com o menino.

Aos 13 anos, ele havia de ser mandado para morar com seu pai. A viagem havia sido planejada em cima da hora, assim que eles souberam da condição dele e na noite anterior ele havia escutado uma história muito estranha que não conseguiu decifrar. Isso o estava inquietando tanto que não conseguiu dormir e começou a vagar pela casa a noite. A mansão da família era enorme, praticamente um palácio, com uma infinidade de quartos, duas cozinhas enormes, piscina, área de lazer, de serviço, copa, sala de jantar, quadra de tênis, academia, uma casa para os empregados... Tudo para completo conforto da família e dos seus agregados. Na noite, o menino havia dispensado o mordomo, se sentou a frente da lareira a observar a foto do patriarca de sua família, Abelardo Chermont. Sua família nem sempre havia sido Dosseau. O homem era imponente, retratado em cima de um cavalo, havia lutado ao lado de Napoleão, na era mais gloriosa da nação e sua família sempre foi muito patriótica. John, se levantou em cima da cadeira fascinado pela imagem e esticando os pés tocou a mão na imagem. A pintura era lisa, feita a óleo e muito bem detalhada. Quando finalmente conseguiu tirar as mãos da pintura, tocou sem querer no candelabro que ficava acima da lareira e ouviu um barulho em seguida. Bem a sua frente, na área do fogo, a madeira crepitante, começou a correr para trás, fazendo surgir uma passagem que através de uma escada de pedra se verticalizava para baixo. Curioso e percebendo que ninguém havia registrado o barulho, desceu. O lugar estava escuro e a medida que descia ficava ainda mais, até esbarrar em alguma coisa. Várias luzes se ascenderam, a volta dele, formando desenhos estranhos e ele percebeu que o que ele havia esbarrado era uma porta. Um scanner o investigou e ela abriu  Aos poucos foi adentrando no local e viu que uma sala semicircular se desenhava no ambiente atrás da porta. Vários equipamentos, estruturas tecnológicas e tanques de uma substância verde gasosa. Nada do que estava ali, o menino entendia e pegou um frasco com a mesma substância dos tanques. Enquanto observava, tentando entender o que era aquilo, ouviu alguém gritar seu nome e derrubou o frasco. Era o mordomo, ele parecia desesperado quando viu a situação. O gás começou a se espalhar pela sala, logo Francis pegou o garoto nas costas, tampando o nariz e subiu as escadas.

Quando chegaram na sala tudo já estava tomado pelo gás e o rapaz começou a se sentir mal. Francis o largou no sofá enquanto ele perdia a consciência de si. A última coisa que conseguiu sentir foi alguma coisa lhe envolvendo. Ao acordar percebeu que estava numa espécie de casulo, chutou para fora e bateu até conseguir rompê-lo. Tudo ainda era verde, até ele perceber que outros casulos se espalhavam pela casa toda. Tentou abrir um deles e percebeu que a pessoa estava morta. Era sua avó. Vasculhou alguns outros até ter a terrível constatação de que todas as pessoas estavam mortas. John chorou muito, chorou até não ter mais lágrimas, sozinho, enquanto ninguém poderia lhe ouvir, depois teve raiva, raiva tão grande que ele ativou pela primeira vez seus recém adquiridos poderes. Seu corpo começou a arder, até romper sua pele e um brilho de cor azulada resultou numa grande explosão que colocou a baixo toda a casa e fez o garoto desmaiar. Foi como uma explosão eletromagnética que deixou toda cidade no escuro. Essa atividade sem dúvidas chamou a atenção das autoridades. Em questão de apenas uma hora a área havia sido toda isolada e a imprensa queria saber o que estava acontecendo. A criança era a única sobrevivente da calamidade. Não foi por nada que isso atraiu a atenção dos superpoderosos, inclusive da família real inumana. Adiantados e utilizando todos os seus recursos, eles conseguiram recuperar o menino em segredo, antes das outras equipes.

Nesta época os inumanos ainda não haviam se revelado e Raio Negro ainda era o rei de Attilan. O conselho de genética a muito tinha conhecimento da família Dosseau e sua história foi explicada ao menino. Assim que acordou, ele deu de cara com seu pai, que ele não via desde que era um pequenino. Clark Maverick era um cirurgião renomado, que adorava viajar, aproveitar a vida da melhor forma, muito semelhante as tendência da personalidade de seu filho. Foi ele o responsável por explicar tudo ao garoto, já que era parte da pouca família que restava. Clark explicou que anteriormente seus ancestrais eram inumanos, seres poderosos e extremamente avançados se comparados aos humanos comuns, que eles viviam na cidade do povo inumano, Attilan e que seu ancestral Abelardo, havia um dia feito parte do conselho de Genética. Sendo responsável por auxiliar a escolher os reis e criar pesquisas sobre o gene inumano. Só que ele havia se apaixonado por uma humana, trocando assim sua vida para viver ao lado de sua amada. Ao longo do tempo sua família se tornou cada vez mais distante de suas origens inumanas, não só pela perca de seus costumes de origem, mas como uma perca genética, devido a sua miscigenação constante com o dna humano. Mesmo assim, Abelardo, que viveu muito tempo graças ao seu gene puro, havia prosseguido suas pesquisas, temendo que em breve sua árvore genealógica sofresse um colapso. Mesmo chegado ao fim de sua vida, morto em linha de frente na guerra, deixou para seus ancestrais seu laboratório para que um dia alguém pudesse recuperar a história e salvar sua família.

O menino logo o perguntou como ele sabia isso tudo e ele lhe disse. Sua família sabia da história, pois em algum momento alguém descobriu o laboratório, mas, sobretudo eles tinham medo dessas coisas, de que algum dia isso pudesse se voltar contra eles. Clark disse com todas as palavras que era um mutante, que um dia havia sido um herói e que quando conheceu sua mãe ele ainda era. Assim, depois que se casaram, ela contou tudo com medo de que aconteceria se tivessem um filho. Mesmo após a separação, ele sempre teve consideração por seu filho e por sua ex-esposa Helena. Essa consideração era tão grande que ele decidiu investigar por contra própria os inumanos, utilizando seus recursos e habilidades. Foi dessa forma que ele foi teletransportado a Attilan, pela rainha Medusa, esposa de Raio Negro. Que em sinal de reconhecimento por seus esforços, havia disponibilizado o diário do ancestral do garoto. Na eminência de sua morte, ele quis que suas descoberta e história ficassem para sempre registradas na biblioteca inumana. A terrígena que ele conseguiu produzir era específica para reverter os possíveis efeitos colaterais do percurso histórico de sua família e apenas funcionava no seu dna. Depois de explicado, seu pai, aconselhou ele ao descanso, deu-lhe o "diário", que era uma espécie de um pequeno objeto de metal prateado, de forma circular que cabia na mão, com alguns botões nas bordas e quando ativado projetava um holograma contendo os momentos registrados e armazenados.

Com todas essas informações, o rapaz ficou muito confuso por um tempo, tentando se acostumar com seus novos poderes e as novas informações que recebeu. Acolhido inicialmente por todos na cidade inumana, foi ensinado por Gorgon como lidar com seus poderes e recebeu um traje especial de tecnologia inumana para controlar seus poderes.  Pois depois do acidente, até então, ele não conseguia voltar a sua forma humana, colocando em risco quem e o que tocava. Gordon, Karnak e os outros inumanos percebiam o quanto o rapaz tinha potencial, sendo cogitado para fazer parte da guarda real no futuro. Ao se esforçar ele conseguia mudar sua forma se transformando em uma espécie de humanoide de energia. Essa forma parecia ser transformar em todas as energias do espectro eletromagnético. Sua mutabilidade influenciava sua a cor também, dependendo de seu comprimento de onda e lhe proporcionou o nome inumano de Prisma. Gradativamente absorvendo as coisas o garoto pensava em cada vez menos ficar ali, mesmo se dando bem com todos, ele sempre era atormentado pelas lembranças de sua família morta e não o deixariam em paz tão cedo. Elas o lembravam de que a névoa terrígena, foi à culpada indiretamente por matar sua família ou pelo menos assim considerava. O conselho, ao saber que era um híbrido, se irritava cada vez mais com sua presença. Sem família na França, a sua guarda ficou com seu pai e assim ele foi morar em Nova York. Disposto a esquecer de seus poderes à medida que poderia escondê-los voltando a sua forma humana, tentou viver uma vida normal, o que foi facilitado pelo fato de a terrígena ter eliminado os traços de TDAH do seu sistema, graças aos estudos de seu ancestral do próprio DNA familiar.

Muito tempo se passou e o rapaz se formou como advogado na Partheón-Assas. Com o dinheiro de sua família, reformou a casa na França e fundou seu próprio escritório de advocacia com mais dois amigos que fez na Universidade. A Maverick-Ruboul and Stick, devido a boa formação dos seus três advogados e graças a influência dos pais importantes dos jovens, conseguiu em pouco tempo casos grandes e importantes. Mesmo feliz, com sucesso profissional, o jovem John, ainda queria fazer mais e sabia que poderia fazer mais. Ainda via muitos jovens sendo mortos nas ruas ou presos por incontáveis desavenças, ainda percebia mutantes sofrendo perseguições, pessoas no meio do fogo cruzado perdendo suas esperanças e supervilões colocando em risco a vida das pessoas todos os dias. Quando o incidente envolvendo a cidade inumana aconteceu ele decidiu de vez encarar o mundo. Primeiro começou separando boa parte do seu dinheiro em ajuda aos inumanos e das vítimas do acidente. Disponibilizou-se previamente para agir como advogado da família real, caso eles precisassem, proposta que não foi recusada. Engajou-se como filantropo criando algum programas de proteção e reabilitação de jovens. Suas atitudes chamavam cada vez mais a atenção do público, forçando ele a revelar sua identidade super-poderosa ao mundo. Seguindo o exemplo de Tony Stark, decidiu ajudar com seus poderes, ajudar as pessoas. Sua vida profissional e individual foi então levada toda a causa em favor da humanidade, dos inumanos e mutantes. Mesmo sendo um híbrido, suas ações provaram-se mais valiosas do que nunca e a Rainha Medusa concedeu total liberdade diplomática para sempre que quiser ser acolhido em Attilan, oferecendo seu palácio como refúgio. Escolheu viajar pelo mundo, conhecendo muitos heróis de outros países e despertando seu interesse por fotografia. Essa viagem foi mantida apenas com trabalhos que fez como modelo, por onde passava. Este era o trato que fez com seus sócios. Sabendo que poderia ir além de tudo que descobriu, foi em uma jornada pelo espaço e só retornou um ano depois a Terra. Em busca do retorno ao que mais de normal, ele poderia chamar de "vida". A descrição de suas aventuras nesse ano, não foram reveladas por ele.

OBJETIVOS/MOTIVAÇÕES
John tenta usar tanto sua vida pública quando privada em prol dos inumanos e mutantes. Tudo para que o que aconteceu com a família dele não acontecesse com outras pessoas.

PREFERÊNCIAS
Odeia cães, pois foi mordido e perseguido por vários deles quando criança. O que o leva a ter uma inimizade com o cachorro inumano, Dentinho.
Não ingere bebidas alcoólicas e nem fuma tabaco.
Pratica todo tipo de esporte imaginável, com foco grande nas artes marciais.  Perde toda a sua manhã praticando pelo menos uma caminhada e meditação.
EXTRAS E LINHA DO TEMPO
John tem uma meia irmã por parte de pai de nome Acacia Maverick, ela é normal, mais velha e trabalha na empresa de seu pai.

Tem nacionalidade francesa e norte americana.

Seu pai é um mutante com poderes de inteligência e velocidade além da capacidade humana.

Faixa preta em aikidô e kung fu, combinou as duas artes formando uma nova forma de luta própria

Já foi modelo profissional na adolescência e ainda faz bicos quando precisa.

John, não sabe que mais uma pessoa sobreviveu ao incidente em sua casa, sua prima Aimeé Dosseau. Ela é uma inumana muito poderosa e ficou presa em uma dimensão de bolso. Ela vai ser importante para a história de John.


LINHA DO TEMPO:

1988 – Nasceu em Bordeaux, França.
1990 – Seus pais se separaram.
1996 – Ganhou medalhas como aluno destaque.
1997 – Foi expulso pela primeira vez de uma escola.
1998 – Expulso pela segunda vez de uma escola
2001 – Diagnosticado com TDAH. Ano do Incidente e do desenvolvimento dos seus poderes. Chega a Attilan.
2002 – Sai de Attilan, localizada na parte azul da Lua e se muda para Nova York.
2004 – Começa sua carreira de modelo.
2005 – Sua primeira aparição como herói.
2006 – Retorna a França para estudar advocacia pela Universidade Partheón-Assas.
2011 – Forma advogado, especializado em processo criminal. Retorna a Nova York e funda Maverick-Rubon and Stick com mais dois amigos da universidade.
2013 – Assume sua identidade pública como Prisma. Conhece alguns heróis. Primeiro caso a favor dos Inumanos. Faz uma viagem ao redor do mundo.
2014 – Cansou se do mundo e se aventura pelo espaço.
2015 – Retorna a Terra
FÍSICO OCUPADO: David Filipiak— John Maverick
LU


avatar
Localização :
Nova York

Mensagens :
7

Dólares :
924

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Background] John Napoleon Doussead Maverick - Prisma

Mensagem por Sábia em Ter Jan 10, 2017 11:17 am

Ficha aprovada.

Recebe 290 PF's e tem direito a começar no nível 2, pode fazer a ficha de de status, também está liberado para a postagem de RP's.
avatar
Admin
Localização :
--

Mensagens :
27

Dólares :
2573

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum